16 set 2016

O que é Internet das Coisas (Internet of Things)?

Tem ouvido um burburinho sobre um tal de Internet of Things e está por fora do assunto? Neste artigo, vamos falar sobre o que é Internet das Coisas (Internet of Things), falar sobre o conceito e explicar como isso está influenciando na vida das pessoas atualmente. Quer ficar atualizado? Então não deixe de acompanhar este artigo, confira!

1Também conhecida como uma revolução tecnológica, a Internet das Coisas, termo em português para o original Internet of Things, se refere aos eletrodomésticos, acessórios e até meios de transporte que, hoje, atuam também por meio da rede mundial de computadores, a internet e outros dispositivos. Dessa forma, o nosso mundo físico é influenciado, cada vez mais, pelo mundo digital, quando muitos dos nossos artefatos que usamos normalmente passam a se comunicar por meio de redes, como data centers ou nuvens.

Tudo começou com Bill Joy, cofundador da Sun Microsystems, quando começou a trabalhar com conexão de Device para Device (D2D), em 1991- que trata-se de um conceito mais abrangente, algo que os especialistas chamam de “várias webs”. Depois disso, em 1999, o termo Internet das Coisas passou a ser usado como um conceito que trata de dispositivos que funcionam em rede, apresentado pelo especialista Kevin Ashton do MIT, no seu artigo “A Coisa da Internet das Coisas”, publicado no RFID Journal. Na época, eram oferecidos 50 pentabytes de dados para gravações, imagens e registros.

Para quê serve a internet das coisas?

2Segundo os pesquisadores e estudiosos da área, a maneira como vivemos hoje em dia, com rotinas apertadas, em uma ditadura do relógio para cada ação, com menos tempo para supérfluos, entre outras coisas, faz com que passemos a acessar à internet de outras formas. Não somente para o lazer, mas também por necessidade, ou seja, a tecnologia já faz parte das nossas vidas e já a utilizamos como fazemos com eletrodomésticos, entre outros. Por conta disso, dispositivos conectados em rede, como funciona a Internet das Coisas, facilitam a nossa rotina e permite que tenhamos como acessar à internet sem parar o que estamos fazendo.

Um ótimo exemplo sobre o conceito Internet das Coisas são os dispositivos que chamamos de aparelhos vestíveis, entre eles, o Google Glass, um acessório para ser usado como um óculos, pelo qual é possível interagir com softwares, além de outros usuários, por meio da realidade aumentada. Já o Smartwatch 2, da Sony, no formato de relógio touchscreen, é um outro exemplo de dispositivo capaz de nos conectar à internet e à tecnologia, funcionando como uma segunda tela do celular smartphone, atuando por meio da internet, aplicativos e outros recursos do próprio telefone celular.

Esses dois dispositivos apresentados acima já estão font-family: Calibri, serif;mais próximos da nossa realidade do que imaginamos. E assim como os smartphones foram popularizados com o barateamento dos aparelhos, tais acessórios também chegarão às grandes massas, influenciando o nosso comportamento, a forma como enxergamos a vida e realizamos as nossas tarefas diárias. Entre os objetos que mais têm potencial para receber esse tipo de conexão, no termo de Internet das Coisas, são geladeira, carros, elevadores, tênis para corrida e outros esportes, entre outros, além dos óculos e relógios.

Por isso, daqui há poucos anos, muitas das coisas que realizamos hoje, serão feitas por nós com mais ajuda ainda da tecnologia, nesse sentido, as próximas gerações viverão outro tipo de rotina, mais facilitada pela tecnologia – a ideia é que, cada vez mais, nos sobre tempo para o que é verdadeiramente importante, ou não! Aí vai da maneira como você idealiza e prioriza as suas escolhas!

14 set 2016

Como se posicionar no Google?

Perder horas e horas diante do computador para elaborar o melhor e mais agradável template do mundo; gastar a mesma quantidade de tempo para escrever o melhor texto já publicado em sua vida. Esse pode ter sido um tempo de vida jogado fora se, depois de todo esse trabalho, ninguém acessar a sua página não é mesmo?! Isso, é claro, sem falar na frustração de não ver nenhuma curtida ou comentário na sua página, nem a mínima repercussão sobre o assunto. Vamos acabar com esse problema agora mesmo, acompanhe o artigo: como se posicionar no Google?

Da mesma maneira que é importante trabalhar muito bem no conteúdo que irá compartilhar no seu blog ou site e tomar cuidado com imagens, vídeos e outros recursos para chamar a atenção de visitantes, é também de extrema importância, para a saúde de sua página, que você também esteja informado, minimamente, sobre algumas técnicas que podem te fazer ter a oportunidade de se posicionar no Google. A mais utilizada na atualidade, chama-se SEO – uma sigla em inglês para o termo Search Engine Optimization, ou, em livre tradução para o português, Otimização na Engenharia de Busca.

O que é SEO e como usar para se posicionar no Google?

Antes de mais nada, vale a pena dizer que aparecer nas listas de resultados de sites de buscadores, como o Google, por exemplo, pode ser sinônimo de muitos acessos à uma página. Basta lembrar de suas próprias ações na internet, o que você faz quando quer saber de algum assunto? Automaticamente, a grande maioria de nós abre a página www.google.com.br e insere a palavra ou a frase que pode nos levar a uma lista dos sites que publicam sobre o assunto que nos interessa.

Estar nessa lista pode te garantir muitos visitantes, o que, consequentemente, te garante mais sucesso em empreendedorismo digital, mais vendas, mais autoridade, mais fama virtual e assim por diante: tráfego de visitas é a chave para o sucesso na internet! Porém, para que os mecanismos da Google encontre a sua página eletrônica entre tantas outras existentes no momento, é necessário ter alguma dedicação e fazer uso de alguns macetes e técnicas que chamamos de SEO.

SEO é um conjunto de técnicas que fazem com que a Google encontrem o seu site e divulguem em sua lista de resultados. Para que seja possível se posicionar no Google, você pode utilizar algumas, ou todas, as suas ferramentas. Entre elas, estão:

  • Uso da palavra – chave: quando você utiliza palavras principais que correspondam a um resumo do conteúdo do seu site. Por exemplo: um site que trabalha com saúde, pode utilizar, além da própria palavra “saúde”, coisas como “bem estar”, “vida saudável”, entre outras.

  • Link Building: links externos que trabalham direcionando visitantes que estão, em um primeiro momento, em outra página, mas são direcionados à sua após o clique certo!

  • Snippet: é o nome que dão os especialistas para aquele pequeno textinho explicativo sobre o seu site quando ele aparece na lista dos buscadores.

  • Anchor text: ou, em português, texto âncora. São aqueles links no meio do texto que podem te levar para outras postagens que tenham a ver com determinado assunto. Isso faz com que o visitante continue navegando em sua página por mais tempo!

  • Heading Tags: recursos de programação que destacam títulos e subtítulos em uma página.

Todas essas ferramentas podem melhorar o posicionamento de sua página no Google, porém, uma coisa que você jamais deve fazer é deixar de atualizar o seu site! Os mecanismos de buscam ignoram completamente os sites que não possuem publicações com frequência. Se quiser ter como se posicionar no Google, lembre-se disso!

09 set 2016

7 erros que você deve evitar em um site

Sabe quando você precisa acessar um site, mas a experiência acaba sendo desastrosa, porque você não encontra nada, não entende como chegar às páginas que lhe interessam, acha que a informação está desorganizada e causando confusão na sua busca, entre outras sensações ruins que nos fazem partir logo para a página eletrônica mais próxima? Pois é, não deixe que os seus visitantes passem por isso! Neste artigo, veja os 7 erros que você deve evitar em um site. Confira!

a

Este artigo serve tanto para você que está começando a pensar na elaboração do site de sua loja virtual ou blog de conteúdo, como também para você que já possui uma página eletrônica e precisa revisar a eficácia de sua página. Acompanhe os 7 erros que você deve evitar em um site para que os seus visitantes voltem sempre para acompanhar as suas publicações e ainda tragam novos leitores!

1 – Música no site

Esse é um erro simples, porém, cruel! Cometido, geralmente, por quem está iniciando agora sua vida no ambiente virtual e ainda não visitou sites suficientes para saber que tocar uma música aleatória toda vez que abrimos um site é uma das coisas mais chatas e irritantes do mundo. Esse tipo de ferramenta pode funcionar, claro, se o seu site for direcionado para o assunto ou no caso de atuar como uma webrádio, caso contrário, resista à vontade de usar o aplicativo que, muitas vezes, é gratuito na maioria das plataformas hoje em dia.

2 – Erros de português no conteúdo do site

Esse erro esta entre os 7 erros que você deve evitar em um site não simplesmente porque é ruim o bastante, mas porque é muito fácil de acontecer e acontece com todo mundo! Não há nada pior para uma site sério do que ser pego em um erro de gramática logo na primeira página, certamente, isso irá abalar a credibilidade da página.

3 – Site desatualizado

Deixar o seu site desatualizado é outro problema grave. Se uma pessoa acessa à sua página por uma segunda vez e dá de cara com uma publicação antiga, pode ter certeza que dificilmente ela irá voltar!

4 – Navegabilidade ruim

7 erros que você deve evitar em um siteEsse problema, na maioria das vezes, pode ser colocado como culpa de algumas plataformas que não geram recursos mais instintivos, porém, nós sabemos que na grande maioria das vezes depende do próprio usuário eliminar os exageros e deixar a melhor navegabilidade possível. Seja sempre bastante claro na sua página e procure carregar no seu conteúdo de uma outra maneira!

11

5 – Links que não funcionam  

Nós sabemos que, muitas vezes, a ideia é compartilhar uma gama de informações pertinentes ao conteúdo do seu blog ou site e manter tudo sempre muito bem atualizado. Porém, não deixe que a gana de estar sempre em dia te faça postar coisas que podem não estar funcionando muito bem. Compartilhar links que não funcionam, ou seja, que não redirecionam à nenhuma nova página e nos faz ficar olhando para aquele aviso “essa página não existe”, vão diminuir os seus acessos!

6 – Navegador especial

Procure sempre adaptar o seu site e o seu conteúdo ao usuário e não esperar que o usuário se adapte ao seu site! Nesse sentido, elaborar uma página que funciona apenas para quem usa Internet Explorer é um dos 7 erros que você deve evitar em um site.

7 – Imagens ruins

Esse é um problema muito fácil e rápido de visualizar, quem é que para em um site que não toma cuidado em postar somente imagens com resolução razoável? Se você comete esse erro em sua página, volte duas casas!

7 erros que você deve evitar em um siteRevise o seu site e veja se você também comete um desses erros, ainda dá tempo de arrumar e tornar a experiência dos seus leitores ainda melhor!

© 2017 LinkHost Soluções Web. Todos os Direitos Reservados

back to top