11 out 2016

O que é NFC e para quê serve?

Já imaginou um tempo no futuro quando será possível realizar a troca de informações sem o uso de cabos ou redes wireless? Quando irá bastar apenas que aproximemos o nosso dispositivo de outro para que arquivos sejam transferidos sem depender de nenhuma conexão? Não estamos falando aqui de nenhum roteiro de filme futurista, esse é um futuro mais próximo do que imaginamos! Quer saber mais sobre o assunto? Então acompanhe este artigo: o que é NFC e para quê serve?

1

 

Para quem não está familiarizado com o tema, relativamente novo para quem não costuma acompanhar as notícias sobre tecnologia, vamos do começo: NFC é uma sigla em inglês para Near Field Communication e trata da possibilidade de troca de informações entre dispositivos móveis em uma distância de até 10 centímetros. Foi desenvolvida em uma parceria entre a Sony e Phillips e funciona, na prática, como um chip que podemos usar no celular, por exemplo, e dessa maneira utilizar nossos dados, como os de identificação ou cartão de crédito diretamente pelo aparelho.

Essa tecnologia foi criada a partir de um consórcio global, em 2004, chamado NFC Fórum. Participam deles uma série de empresas que irão atuar diretamente com o chip, como é o caso das empresas que trabalham com hardwares, softwares, cartões em geral e os bancos. Entre elas, estão Sprint, Google, Microsoft, PayPal, Visa, Mastercard, American Express, Intel, Qualcomm, LG, Nokia, Huawei, RIM, Samsung, Sony Ericsson, Toshiba, AT&T, HTC, Motorola e NEC.

De um ponto de vista mais técnico, a tecnologia NFC está atuando, até o momento, por meio da RFID – sigla em inglês para Radio Frequency Identification, ou Identificação de Rádio Frequência. Com isso, da mesma maneira que a voz de um locutor viaja pelas ondas de um rádio, a comunicação entre os aparelhos é possível, dependendo de uma distância mínima.

A tecnologia NFC vai chegar ao Brasil?

 

2

No Japão, assim como também nos Estados Unidos, as pessoas já estão comprando bilhetes de trem, ingressos para eventos como shows e apresentações, além de pagar contas de banco ou em supermercado por meio da tecnologia NFC – Near Field Communication, que está funcionando por meio de seus celulares do tipo smartphone. Por isso, caso você precise de uma passagem para o metrô, em Tóquio, basta aproximar o celular em uma distância de dez centímetros para que o valor seja debitado diretamente de sua conta, mediante um cadastro.

Já na América do Norte, algumas universidades utilizam a tecnologia NFC para substituir as carteirinhas da faculdade que dão acesso aos prédios. Na Universidade do Estado do Arizona, por exemplo, alguns alunos apenas aproximam os celulares das catracas para poder passar. Agora, para o Brasil, parece que ainda vamos esperar um pouco mais!

Por outro lado, já dá para ficar de olho em algumas das marcas que irão lançar modelos com a tecnologia NFC, como é o caso da Samsung Nexus S, BlackBerry Bold 9900 e 9930, BlackBerry Curve 9350, BlackBerry Curve 9360 e BlackBerry Curve 9370, Nokia C7 e muitas outras companhias que já começaram a se animar com as novas possibilidades. A Apple, por exemplo, já lançou nota divulgando que existe a expectativa de começarem a utilizar a tecnologia NFC em seus próximos Gadgets. Por mais que não tenha sido nada confirmado ainda pela assessoria de imprensa da empresa, não há dúvida de que essa que é uma das principais marcas de tecnologia irá ficar de fora dessa!

E aí, será que esse tipo de avanço tecnológico irá minimizar os assaltos ou irá piorar essa questão ainda mais por conta da concentração de informações em um só dispositivo? São dúvidas que iremos debatendo ao longo do percurso, enquanto ainda é uma questão de tempo no Brasil!

16 set 2016

O que é Internet das Coisas (Internet of Things)?

Tem ouvido um burburinho sobre um tal de Internet of Things e está por fora do assunto? Neste artigo, vamos falar sobre o que é Internet das Coisas (Internet of Things), falar sobre o conceito e explicar como isso está influenciando na vida das pessoas atualmente. Quer ficar atualizado? Então não deixe de acompanhar este artigo, confira!

1Também conhecida como uma revolução tecnológica, a Internet das Coisas, termo em português para o original Internet of Things, se refere aos eletrodomésticos, acessórios e até meios de transporte que, hoje, atuam também por meio da rede mundial de computadores, a internet e outros dispositivos. Dessa forma, o nosso mundo físico é influenciado, cada vez mais, pelo mundo digital, quando muitos dos nossos artefatos que usamos normalmente passam a se comunicar por meio de redes, como data centers ou nuvens.

Tudo começou com Bill Joy, cofundador da Sun Microsystems, quando começou a trabalhar com conexão de Device para Device (D2D), em 1991- que trata-se de um conceito mais abrangente, algo que os especialistas chamam de “várias webs”. Depois disso, em 1999, o termo Internet das Coisas passou a ser usado como um conceito que trata de dispositivos que funcionam em rede, apresentado pelo especialista Kevin Ashton do MIT, no seu artigo “A Coisa da Internet das Coisas”, publicado no RFID Journal. Na época, eram oferecidos 50 pentabytes de dados para gravações, imagens e registros.

Para quê serve a internet das coisas?

2Segundo os pesquisadores e estudiosos da área, a maneira como vivemos hoje em dia, com rotinas apertadas, em uma ditadura do relógio para cada ação, com menos tempo para supérfluos, entre outras coisas, faz com que passemos a acessar à internet de outras formas. Não somente para o lazer, mas também por necessidade, ou seja, a tecnologia já faz parte das nossas vidas e já a utilizamos como fazemos com eletrodomésticos, entre outros. Por conta disso, dispositivos conectados em rede, como funciona a Internet das Coisas, facilitam a nossa rotina e permite que tenhamos como acessar à internet sem parar o que estamos fazendo.

Um ótimo exemplo sobre o conceito Internet das Coisas são os dispositivos que chamamos de aparelhos vestíveis, entre eles, o Google Glass, um acessório para ser usado como um óculos, pelo qual é possível interagir com softwares, além de outros usuários, por meio da realidade aumentada. Já o Smartwatch 2, da Sony, no formato de relógio touchscreen, é um outro exemplo de dispositivo capaz de nos conectar à internet e à tecnologia, funcionando como uma segunda tela do celular smartphone, atuando por meio da internet, aplicativos e outros recursos do próprio telefone celular.

Esses dois dispositivos apresentados acima já estão font-family: Calibri, serif;mais próximos da nossa realidade do que imaginamos. E assim como os smartphones foram popularizados com o barateamento dos aparelhos, tais acessórios também chegarão às grandes massas, influenciando o nosso comportamento, a forma como enxergamos a vida e realizamos as nossas tarefas diárias. Entre os objetos que mais têm potencial para receber esse tipo de conexão, no termo de Internet das Coisas, são geladeira, carros, elevadores, tênis para corrida e outros esportes, entre outros, além dos óculos e relógios.

Por isso, daqui há poucos anos, muitas das coisas que realizamos hoje, serão feitas por nós com mais ajuda ainda da tecnologia, nesse sentido, as próximas gerações viverão outro tipo de rotina, mais facilitada pela tecnologia – a ideia é que, cada vez mais, nos sobre tempo para o que é verdadeiramente importante, ou não! Aí vai da maneira como você idealiza e prioriza as suas escolhas!

© 2017 LinkHost Soluções Web. Todos os Direitos Reservados

back to top